24/02/2014

Comigo não levo cadeado
Nem sonho perdido
Não tem fato impossível
Tudo que sente se expande
Nu pensamento que tange

Não soul de vento,
venho e vou do tempo
doutro levante
Onde lamento e versos
Eram brisas de errantes

André Luz


Nenhum comentário:

Postar um comentário