17/12/2013

E agora que morri?

Me jurou de morte
Trazendo me no sangue da sua palavra
Afiou em minha língua o teu punhal que me guarda

Disse que me beberia 
Que eu não era de verdade, que arei sua dor
E sente muita saudade, saudade de flor!

Me acusou de roubo
Furtando meu passado pro seu julgo
Quis que o mundo me expurgue

Agora que morri pra ti
Não acenda vela ou apele prece, pois virei vento
Olhe para o seu céu de centelhas

E se agradece!

André Luz - De Tudo Hum Pouco



Nenhum comentário:

Postar um comentário