19/08/2013

ritmo que bate no peito


Deixei meu samba ali
Feito de canto e um assovio amuado
Com seu surdo forte marcando isolado
A cuíca ruiu, e caiu de chucalho no paço
O tamborim não rasgou, explodiu
O agogô encanta e faz o brilho no olho da esperança
e a passista passou cheia de bundas, nem precisava tantas

Deixei meu samba ali
No suave gingado do seu rebolado
No olhar do moço com cigarro apagado
E no terno de linho cru que ja foi passado
O apito do mestre tocou
eu desfilo como quem marcha 
e raspa o reco-reco gargalhando

bebendo, suando e cantando
procurando meu carnaval

André Luz Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário