31/07/2013

Tamanho do Não

Um velho moço
Deitado no banco
Não pinta o esboço
De uma vida inteira

Este enrugado ali
Prostrado e perdido
Como amigo, um cachorro sem latido
Prestes a sucumbir

Deixeis ele de lado
Que de certo é derrotado
Uma vida de escravo
Onde amou e não se deu tão bem

Este menino de idade
Esquecido nas ripas
Que de abandono se invade
Arde suas frias medidas

André Luz Gonçalves 


Nenhum comentário:

Postar um comentário