24/07/2013


Faço um Blues 
Desses uivos de cachorro e asfalto molhado
De torcer pra não amanhecer
Desses desolados

Faço um Blues
Como quem sofre e escorre calado
Como se encontra, puto, junk e atordoado
Como quem vê o amor ir embora

Faço esse Blues
Sem bumbo, sem fundo, sujo e invocado
Tocando uma gaita desafinada
E bebendo um destilado barato

Acabo com o Blues
Pensando em dançar me esfregando em cismas
Pensando em achar te no ralo da esquina
Procurando fogo pro meu cigarro amassado

E depois desse Blues
Deito e rodo com o mundo
Apagado e amassado no SEU cinzeiro
No sonho do sonho tardo em partir me acabado. 


André Luz Gonçalves

Nenhum comentário:

Postar um comentário