09/06/2013

alusão

Gosto de todos, 
Nem tudo muito.

Sinto minha hora
Nem toda hora minha

Mesmo assim, sinto sim
O tanto proporcional lúdico de cada dia

Meus pés sem raízes
buscam matizes, mirar

E o medo de perder
Né medo não

é só perceber
não ter e ser

Um dia embora feito a hora 
Cheia de querer ir, aurora...

Desejo grande não tenho
Dor bem longe por perto

Mais distante que o desassossego 
Talvez me sinta só e criativa, saudade

André Luz



Nenhum comentário:

Postar um comentário