19/04/2013

No canto da boca
Do canto na casa
No encanto da foto
Moldura na vontade

Veste fina, suave brisa
Abrindo o sol cem janelas
pássaros e acordes
Sonho bom descortina

Avoados pela cama
Tragados pela ânsia
Vontade tarde me permite
Acordar-te pelas salas

Lonjura que mata seca e muta
Desde que haja sim de mais...
Efêmeros dias eternos
Frio sabor desse inferno.

 André Luz Gonçalves



Nenhum comentário:

Postar um comentário