29/07/2012

Nas cinzas da dor do meu peito
brota
a arte que me suporta
e a ti devora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário